Felipe Hensil

Eu não consigo ser feliz
de segunda a sexta
E quando chega o sábado
também não sou
No domingo, pelo menos,
não penso nisso
Penso na segunda
Nos segundos perdidos
Na linearidade da mágoa
de não poder parar
a angústia
De não poder pedir
uma folga
do pranto
E por saber que brigar
com o tempo
é perder
e perdê-lo

No domingo, pelo menos,
eu paro
pra pensar
nos passarinhos
e na promessa de suas asas